sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Como evitar a hérnia de disco

A terrível dor nas costas é chata, incômoda, começa na coluna, mas pode irradiar para as pernas e até mesmo para os braços. Segundo a Associação Médica Brasileira, cerca de 80% das pessoas apresentarão dor lombar em algum momento da vida. A grande maioria consegue perceber a melhora dos sintomas depois que é resolvida a causa ou cessa o processo inflamatório. Mas, aproximadamente 2% acabam desenvolvendo transtornos degenerativos do disco vertebral, como a hérnia de disco.

Mas para entender melhor o que é esse problema, pense que todo órgão ocupa uma cavidade dentro do nosso corpo. A hérnia ocorre quando um órgão extravasa essa cavidade. No caso das hérnias vertebrais, é o núcleo do disco intervertebral que escapa de dentro do anel que o protege, comprimindo os nervos. "O resultado são sintomas como dores, formigamento e diminuição da sensibilidade dos membros inferiores ou superiores", diz o fisioterapeuta Evaldo Bósio, da clínica de fisioterapia especializada Prime (São Paulo). Abaixo, confira alguns hábitos simples para se proteger de uma hérnia.

Mantenha a postura!

Segundo o fisioterapeuta Evaldo Bósio, manter o corpo alinhado é uma forma de prevenir hérnias. Sempre que mantemos uma postura inadequada sobrecarregamos nossa coluna, fazendo com que os discos intervertebrais sofram cargas anormais. É essa pressão a responsável pelo rompimento do disco, que vai ocasionar a hérnia.

domingo, 10 de abril de 2011

Sintomas da Hérnia de Hiato

Mais de 40 % das pessoas tem uma hérnia do hiato por deslizamento, mas a maioria não tem sintomas e quando estes existem costumam ser de pouca importância.
Uma hérnia do hiato paraesofágica normalmente não causa sintomas. No entanto, pode ficar presa ou comprimida pelo diafragma e não lhe chegar sangue suficiente. Trata-se então dum problema grave e doloroso, chamado estrangulamento, que requer cirurgia imediata.
Em casos excepcionais, em ambos os tipos de hérnia do hiato pode ocorrer uma hemorragia microscópica ou maciça do revestimento da hérnia.

Tratamento da Hérnia Abdominal

O tratamento das hérnias abdominais é cirúrgico. Quando não complicada, a cirurgia é eletiva, isto é, sem pressa e com decisão e aprazamento definidos pelo paciente e pelo médico. O estrangulamento herniário causa risco de vida e exige tratamento imediato, de urgência. Nas primeiras horas do estrangulamento pode-se tentar reintroduzir manualmente o conteúdo do saco herniário para dentro da cavidade abdominal e, então, programar o tratamento cirúrgico posteriormente. Porém, decorridas seis ou mais horas do estrangulamento, não se deve indicar a redução. Indica-se cirurgia de imediato, pela gravidade decorrente da gangrena do intestino.
O uso de fundas de contenção do saco herniário foi muito difundida antigamente, quando o sucesso da cirurgia das hérnias deixava a desejar. Nos dias atuais, com técnica operatória bem definida e materiais de sutura de muito boa qualidade, a cirurgia obtém resultados muito bons. O índice de recidiva (volta da hérnia) pós-operatória, quando a cirurgia é realizada com sucesso, gira em torno de 1% a 3%. Quando as estruturas da parede abdominal estão muito enfraquecidas, a utilização de próteses, isto é, de telas de tecido plástico dão sustentação adequada à parede do abdômen.
Hoje em dia, a videolaparoscopia mantém uma posição de destaque no tratamento da hérnia inguinal, resultando em menor tempo de internação, bem como uma recuperação mais rápida. No entanto, infelizmente, demanda uma cirurgia de maior custo financeiro, sem influenciar os índices de recidiva da hérnia inguinal.

HÉRNIA ABDOMINAL - o que é ?

Hérnia é a protrusão (saliência) de uma porção do organismo que se exterioriza através de um ponto fraco natural ou adquirido. Um exemplo é a hérnia umbilical que aparece através do umbigo, que é um ponto fraco natural. O umbigo é o local por onde o feto foi alimentado durante a vida uterina. No umbigo não existe proteção muscular como no restante da parede abdominal, ele se mantém fechado por uma fibrose constituída por tecido cicatricial. A hérnia abdominal que ocorre sobre uma cicatriz operatória é adquirida porque o enfraquecimento da parede abdominal é conseqüência direta da cirurgia.

Pós Operatório da Cirurgia de hérnia

  • Quando acordar da anestesia ficará num local apropriado chamado de Centro Recuperação Anestésica onde estará sendo monitorizado até ser liberado para o quarto.
  • Na manhã seguinte da cirurgia receberá alta.
  • Em 24 a 48 horas o local da cirurgia poderá ficar uma pouco inchado.
  • Deverá ficar fora da cama no período operatório , evitando esforços físicos pelo período de duas semanas. Após este tempo deverá voltar progressivamente as suas atividades habituais.
  • Se o inchaço persistir por mais de 2 dias ou necessitar tomar medicação para dor além de 3 dias , deverá avisar o seu cirurgião.

Pré Operatório da operação de Hérnia

  • Alguns serviços de cirurigia realizam a cirurgia a nível ambulatorial . Nós da Clinica Marchesini, acreditamos que uma estada de 12 horas no hospital traz uma sensação de segurança maior para o paciente.
  • O jejum , pelo menos 12 horas antes da cirurgia é obrigatório.
  • Um banho na noite da véspera ou na manhã da cirurgia.
  • Alguns exames pré-operatórios são necessários.
  • Se você faz uso de medicação para doenças crônicas ou anti-coagulantes , você deverá avisar seu médico pelo menos uma semana antes da cirurgia.

Riscos da Cirurgia de Hérnia

Apesar da cirurgia ser considerada segura, complicações podem ocorrer como em qualquer outra cirurgia.
  • As principais complicações que ocorrem em qualquer cirurgia são a infecção e a hemorragia. (complicações raras em procedimentos laparoscópicos)
  • Há um pequeno risco de lesão da bexiga urinária , alças intestinais , vasos sangüíneos , nervos ou do cordão espermático.
  • Dificuldade pós-operatória em urinar não é incomun e é transitório sendo em alguns casos necessária a passagem de uma sonda de alívio.
  • Em qualquer época a sua hérnia pode voltar. Atualmente os estudos mostram uma possibilidade de aproximadamente 4% de voltar. Isto é : em cada 100 operados 4 podem voltar a Ter hérnia. O problema é que os riscos de Ter uma hérnia são muito maiores que os riscos de tratá-la. Por isso a indicação cirúrgica é necessária.